Equinodermos

(do gr. echinos = espinho; dermatos = pele)

 

            Características gerais

 

- São marinhos;

 

- Com espinhos na superfície do corpo, geralmente;

 

- Representantes mais conhecidos:

 

        * Estrelas-do-mar;

        * Ouriços-do-mar;

        * Bolachas-da-praia;

        * Holotúrias (pepinos-do-mar).

 

 

        Classes

 

- Asteroidea: estrelas-do-mar;

- Echinoidea: ouriços-do-mar e bolachas-da-praia.

 

             Bolachas-da-praia                                               Ouriços-do-mar

 

 

- Holoturoidea: pepinos-do-mar.

 

- Ophiuroidea: serpentes-do-mar.

 

            Anatomia e Fisiologia

 

      Corpo inteiramente recoberto por uma epiderme muito fina que reveste também os espinhos. Os espinhos são estruturas calcárias articuladas às  placas do endoesqueleto, que se movem por ação de músculos. Além de ter função de defesa, os espinhos participam da locomoção. Distribuidos entre os espinhos, há outras estrturas móveis dotadas de pequenas pinças nas extermidades, as pedicelárias, cuja função é remover detritos e pequenos animais que aderem ao corpo do animal, mantendo-o sempre limpo.

 

         Projetando-se da superfície do corpo, há ainda centenas de estruturas tubulares finas e flexíveis, com ventosas aderentes na extremidade são os pés ambulacrais, responsáveis pela movimentação. 

 

 

 

           Endoesqueleto

 

        O endoesqueleto dos equinodermos é verdadeiramente um endoesqueleto quanto à sua origem mesodérmica, mas que atua segundo o princípio dos exoesqueletos: os ossículos situam-se junto da supefície corporal, logo abaixo da epiderme, constituindo uma armadura, comparável ao exoesqueleto dos artrópodes. Os ossículos dos equinodermos são conectados por ligamentos constituídos basicamente por colágeno

 

 

 

            Sistema Hidrovascular ou Sistema Ambulacral

 

                Esse sistema atua na:

- Locomoção;

- Respiração;

- Captura de alimento;

- Como órgão sensorial (possui terminações nervosas).

 

                O sistema ambulacral é um conjunto de tubos e ampolas de paredes musculares internos ao corpo e de prolongamentos tubulares que se projetam para fora através de poros no endoesqueleto, os pés ambulacrais. Os tubos, as ampolas e os pés ambulacrais são preenchidos por água do mar, daí o nome "hidrovascuar".

 

                No sistema hidrovascular a água penetra pelos poros da placa madrepórica.Os poros da placa madrepórica abrem-se nternamente para o canal madreórico (ou canal pétreo), que se liga a um canal circular, localizado em torno do tubo digestório. Do canal circular partem cinco expansões em forma de bolsas, as vesículas de Poli, e cinco canais radiais, que percorrem o corpo junto à face interna das zonas ambulacrais. De cada canal radial partem centenas de pés ambulacrais, cada um deles ligado a uma ampola de paredes musculares. Os pés ambulacrais prolongam-se para o exterior do corpo através de orifícios nas placas esqueléticas.

 

            Reprodução

 

        A reprodução dos equinodermos é sexuada e a maioria das espécies é dióica, ou seja, apresentam sexos separados: existe o macho e a fêmea. Sua fecundação é externa, machos e fêmeas eliminam seus gametas na água do mar. O desenvolvimento é indireto, pois muitas espécies apresentam vários estágios larvais.

 

 

 

Fontes de Imagens:

https://www.sobiologia.com.br/conteudos/Reinos3/Equinodermos.php

https://equinodermos.zip.net/

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!